Vencedor Ilustração

Vencedorilustracao2017

 

Mara Isabel Santos Silva, com o pseudónimo “Miss Papelinhos”, foi a ilustradora distinguida, na Feira do Livro do Porto, no âmbito da quarta edição do Prémio de Literatura Infantil Pingo Doce. Na opinião do júri, composto por Zita Seabra, Inês Moura Paes, Pedro Sousa Pereira, Sara Miranda e Susana Oliveira, esta foi a autora que melhor ilustrou a história vencedora “Há monstros no túnel”, da autoria do Diogo Alegria Pécurto.


Mara Isabel Santos Silva, tem 31 anos de idade, é natural de Lisboa, cresceu em Setúbal e vive actualmente em Reguengos de Monsaraz. Frequentou o IADE (Lisboa) onde se licenciou emDesigne tirou um Mestrado emDesigne Cultura Visual. É apaixonada por criar ilustrações feitas com recortes e colagens de papel colorido, uma técnica que utilizou no trabalho vencedor e que a levou a escolher o pseudónimo “Miss Papelinhos”.

 

Após receber o troféu, na Biblioteca Municipal Almeida Garrett, a vencedora contou que “esta é a segunda vez que me candidato a este prémio e confesso que a história vencedora facilitou muito o processo criativo porque me transportou para a minha infância, em que, também eu, transformava a realidade num mundo fantástico habitado por monstros. Vencer a 4ª edição deste concurso, permite dedicar-me ao que realmente gosto, uma vez que o meu percurso profissional tem passado peloDesignVisual, por ser uma área com mais oportunidades, mas sempre sonhei em ser ilustradora.”

 

A Presidente do Júri do Prémio, Zita Seabra referiu que a decisão do júri foi unânime explicando que “Este ano, tratava-se de um desafio muito grande pois era necessário juntar o realismo da ilustração envolvente da história com o traço infantil dos personagens para as crianças perceberem de imediato que o livro é para elas e a história é muito bonita.”

 

Madalena da Luz Costa é a vencedora da 3º edição do Prémio de Literatura Infantil Pingo Doce, na categoria de texto, com o texto “O meu livro tem bicho”, eleito pelo júri, presidido por Zita Seabra e composto por Eduardo Sá, Isabel Stilwell, Isabel Zambujal e Sara Miranda.

Para o júri, o texto escolhido “sobressaiu pela originalidade e frescura da ideia, pelo ritmo da escrita e por se tratar de uma história muito visual e, por isso, com grande potencial para inspirar muito bons trabalhos entre os candidatos à fase de ilustração, que se segue. A narrativa estimula as crianças a relacionarem-se com a leitura de forma lúdica e a deixarem-se surpreender pelo poder viciante dos bons livros.”

Com 21 anos de idade, a vencedora deste ano é a mais jovem desde que o Prémio de Literatura Infantil Pingo Doce foi lançado. Natural de Lisboa, é licenciada em Ciências da Cultura pela Faculdade de Letras em Lisboa e está, actualmente, a frequentar o Mestrado em Ciências da Comunicação, na Universidade Nova de Lisboa. Ao tomar conhecimento da decisão do júri, Madalena da Luz Costa destacou o papel das histórias na sua vida: “Desde pequena que sou viciada em ler e que gosto de escrever histórias e de as ilustrar, mas sempre as guardei para mim. Penso neste prémio como uma forma de, finalmente, partilhar uma dessas histórias."

O prémio monetário de 25.000€ será atribuído em Novembro, aquando do lançamento do livro que reunirá as obras de texto e de ilustração vencedoras.

Através da atribuição de um prémio monetário a autores sem obras publicadas, o Prémio de Literatura Infantil Pingo Doce tem como objectivo estimular a emergência de novos talentos nas áreas da literatura e da ilustração. A comercialização do livro que reúne as duas obras vencedoras, nas mais de 400 lojas Pingo Doce espalhadas por todo o país, constitui também um forte incentivo para os candidatos. Os livros resultantes das edições anteriores do Prémio - “De onde vêm as bruxas?” (2014) e “Orlando – O caracol apaixonado” (2015) - já venderam, em conjunto, mais de 20.000 exemplares.

Este ano, a participação na fase de texto ultrapassou as 2.000 candidaturas, um número recorde que traduz uma enorme adesão a este que é o maior prémio de literatura infantil em Portugal. À semelhança das edições anteriores, as regiões da Grande Lisboa e do Grande Porto reuniram o maior número de candidaturas, sendo que todas as regiões de Portugal Continental e das Ilhas se fizeram representar com candidaturas. A faixa etária com maior número de candidatos continuou a situar-se entre os 26 e os 45 anos, e mais de 70% das candidaturas foram submetidas por mulheres.

A todos os candidatos que participaram, nesta 3ª Edição, agradecemos o enorme entusiasmo que demonstraram.

Voltar ao Topo